Pular para o conteúdo principal

TUTTI I RITMI DI BAHIA – Laboratorio di percussioni afro brasiliane


Siate benvenuti alla settimana culturale della coscienza negra!

Il giorno 20 novembre in tutto il Brasile si commemora il giorno della “Coscienza Negra”, in ricordo dello stesso giorno del 1695 quando morì Zumbi dos Palmares, lider negro simbolo della lotta contro la schiavitù. Per questo durante tutto il mese, artisti, promotori e associazioni culturali realizzano attività artistiche e culturali per celebrare questa data.

Abbiamo quindi il piacere di invitare tutti gli interessati a questa attività proposta dal Movimento Culturale Afro-Brasiliano:
TUTTI I RITMI DI BAHIA – Laboratori di percussioni afro-brasiliane
che si svolgerà il 22 novembre ad Arezzo (Italia) presso lo spazioseme:www.spazioseme.com 

Il laboratorio ha come obiettivo quello di presentare e trasmettere ai partecipanti i ritmi e gli stili musicali che compongono la cultura afro brasiliana, a partire dalla città di di Salvador (Bahia), come i ritmi tradizionali del candomblè, le variabili del samba e del samba reggae.

*IMPORTANTE:
gli organizzatori mettono a disposizione 10 strumenti per i primi 10 partecipanti che ne facciano richiesta. Gli altri partecipanti dovranno portare il proprio materiale per il workshop (strumenti, bacchette, cintura e accessori). Il workshop è diretto a percussionisti di tutti i livelli, da principiante ad avanzato.

Il costo del workshop si basa sul principio dell’economia creativa: quanti più saremo, meno pagheremo!
Contributo massimo: 25 euro/persona (per 10 iscritti, numero minimo)
Contributo minimo: 10€ (per 25 iscritti)
Tutti gli interessati devono realizzare una pre-iscrizione del valore di 10 euro entro il giorno 18 novembre.

MODALITA’ D’ ISCRIZIONE (Posti illimitati)
E’ possibile eseguire l’iscrizione tramite bonifico bancario o direttamente presso SpazioSeme. L’iscrizione è valida con versamento di 10 euro non rimborsabili in caso di rinuncia. I dati per la realizzazione della pre-iscrizione attraverso bonifico saranno inviati con messaggio privato a coloro che li richiederanno!

Info:
Cell: 389 9419 462
e-mail info@spazioseme.com.

A cura di: Carlos Ujhama:

Nato nella città di Salvador (Bahia), cresciuto dentro la cultura afrobrasiliana, è oggi direttore e coreografo di AFROSSà, Cia. Contemporanea de Intervençao Urbana (riconosciuta dal Governo dello Stato di Bahia come una manifestazione popolare e identitaria) e membro del Consiglio Internazionale di Danza CID/UNESCO.
Diffusore dei linguaggi che compongono lo scenario artistico e culturale brasiliano contemporaneo, si è formato nel Centro Culturale di Arte del SESC di Salvador con l’insegnamento di Raimundo Bispo dos Santos (Mestre KING); da questo centro sono passati altri grandi e importanti nomi della cultura afro brasiliana contemporanea: Augusto Omolu, Rosangela Silvestre, Armando Pekeno, Giba Gonçalvez, ecc.
Nel 2011, quando si è trasferito in Italia, ha creato il Movimento Culturale Afro Brasiliano, un network che ha l’obietivo di coinvolgere e mettere in rete tutti i professionisti e gli appassionati di cultura afro brasiliana in Europa.
Conta con la partecipazione nei più importanti eventi nazionali e internazioniali su questa tematica, e mantiene relazioni tra Brasile e diversi paesi di Europa, Sud America, America Centrale, Nord America e Asia attraverso il Movimento, che gli permette i riunire importanti personalità della musica, della danza, della capoeria e di tutte le espressioni culturali brasiliane, presenti fuori dal brailse e riconosciute da un vasto pubblico.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS PRETOS NÃO LÊEM!

Sociedade: OS PRETOS NÃO LÊEM! em 22 de Março de 2007 - 09:56 Linux - USA O lado triste deste artigo é que a sua essência é verdadeira. De fato, a verdade dói! Eu espero que isso possa criar uma motivação para que mais “pretos” não somente no senso étnico, identitàrio, cultural, religioso, filosófico, econômico, educacional, político, empresarial, artístico e todos os outros sentidos possam ir para frente, fazendo progresso reais. Carlos Ujhama – AFROSSà Cia. De Danças Populares da Bahia. - Chris Rock, um comediante negro disse, "os pretos não lêem". Não deixem de ler esse artigo é muito interessante. Para muitos dentre vós que escutaram o artigo que Dee Lee léu uma manhã nas ondas de uma estação de rádio de NY. Para os que não escutaram, este artigo toca profundamente. Um artigo pesado e escrito por um caucasiano (um branco). - Os negros não lêem e continuam a ser nossos escravos. Nós podemos continuar a escolher proveito dos negros sem esfo

Ano Novo, novas intenções!

Agradecendo ao que nos foi oferecido pelo universo, no ano que passou e, seguro que toda caminhada começa com o primeiro passo, continuamos a nossa afirmação como um ponto de referencia para as artes cenicas de matrizes africanas e afro-brasileiras. A nossa restrospectiva nos porta à um ano de fortalecimento e amadurecimento! Questões que nao gostaria de explicitar aqui, uma vez que nao háveria a oportinudade de confrontar com a classe artistica que nos segue e tanto colabora com esse projeto. O Moviemto Cultural Afro Brasiliero despedi-se da Europa, a nivél intelectual, pois, percebemos que o necessario a ser feito deve e precisa ser feito em solo brasileiro, para brasileiros. Estudiosos, pesquisadores, bailarinos, atores, musicos, etc. A quem possa interessar!! E, para começar-mos, manteremos os nossos seguidores informados das ações e realizações desses construtores: os pioneiros na perpetuação de uma linha de pesquisa, desenvolvimento e ação sobre a arte e movimento das matri

PROJETO SEXTA EM MOVIMENTO, APRESENTA:

AFROSSà - Dança e técnica afro Soteropolitana. Onde: Escola de Dança da FUNCEB Dia: 23 de abril Hora: das 10:20 as 12:50 Sala: 1 Inserida dentro da carga horária do Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Dança, esta ação tem como principal intuito propiciar aos alunos, professores e comunidade interessada experiências que contribuam para a formação em dança e áreas do conhecimento correlatas. Trata-se, portanto, de um espaço de troca e construção coletiva de saberes baseado em atividades como: seminários, simpósios, palestras, conferências, debates, exposições, aulas, workshops, oficinas, apresentações e bate-papos. A AFROSSà, ou a dança afro Soteropolitana é um desenvolvimento de pesquisa em dança baseado nas movimentações de matrizes africanas, indígenas e européias constitutivamente, dentro do âmbito profissional, técnico, popular e acadêmico da cidade de Salvador, iniciado com a chegada do professor Clady Morgan – EUA e, obtendo desenvolvimento local at