Pular para o conteúdo principal

AFROSSÁ BDC - PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM ARTE E CULTURA AFRO BRASILEIRA.

Estimulando o apoio a iniciativas de formação, intercambio e difusão cultural no Brasil e no exterior, o IABACE – INSTITUTO AFRO BRASILEIRO DE ARTES CULTURA E EDUCAÇÃO, instituição privada com sede na cidade de Salvador/BA, fundamentada nos princípios que regem a manutenção das tradições culturais de matrizes africanas no Brasil, vinculada ao Conselho Internacional de Dança CID / UNESCO, com sede no Palácio das Nações Unidas, Paris/FR, anuncia que estará lançando propostas, a partir dessa data, para a construção de parceria com: associações culturais, grupos e escolas de dança, coletivos, movimentos e afins. Que possuam interesse na organização de encontros, oficinas, workshop e seminários e projetos relacionados ao Programa de Certificação Internacional em Artes e Cultura Afro Brasileira - AFROSSÁ BDC “Brasil Dance Concept´s”, com a supervisão do Prof. Carlos Ujhama – Membro do Conselho Internacional de Dança CID / UNESCO.

O Programa AFROSSÁ BDC “Brasil Dance Concept´s” é regulamentado pelo Conselho Internacional de Dança CID/UNESCO, que ofereci ao final de cada modulo um certificado de nível internacional, reconhecido em mais de 155 países em todo o mundo.

O que é o AFROSSÁ - BDC?
O AFROSSÁ - BDC é um programa de treinamento, capacitação e formação nas artes cênicas afro brasileiras direcionado a um público que possua ou não experiencia nas áreas de dança, música, teatro e desejam desenvolver o seu máximo potencial artístico/cultural.
O programa tem duração de 450 horas, divididos em três módulos, cada um com 150 horas, sendo:
Modulo 1: apresentação prática e teórica dos elementos do AFROSSÁ.
Modulo 2: capacitação e desenvolvimento do AFROSSÁ.
Modulo 3: especialização em artes cênicas afro brasileiras AFROSSÁ BDC.

Quais são as bases diretivas desse programa?

O Programa de Certificação em Artes e Cultura Afro Brasileira possui duas bases diretivas:
· AFROSSà - Danças de matrizes africanas existentes na cidade de Salvador.
· U.P.B – Universo Percussivo Brasileiro.

Sobre o AFROSSà:

ou a dança afro soteropolitana, é um desenvolvimento de pesquisa em dança baseado nas
movimentações de matrizes africanas, indígenas e europeias dentro do âmbito profissional, técnico, popular e acadêmico da cidade de Salvador.

AFROSSà é uma terminologia criada para identificar a cultura de movimentos e sons que nascem na cidade de Salvador. Esses elementos estão ligados a cultura popular localizada nas regiões centrais da cidade, região metropolitana e do Recôncavo baiano e são acompanhadas por toda a musicalidade e variação rítmica desenvolvida, com o passar dos anos, através da mistura das matrizes étnicas que constituem a sociedade baiana.

O AFROSSá é, portanto, um movimento cultural brasileiro capaz de promover o respeito pela diversidade cultural e suas expressões em âmbito nacional e internacional, reconhecido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do seu Catalogo de Culturas Populares e Identitárias, do ano de 2010. Essa iniciativa se enquadra em dois instrumentos internacionais ratificados pelo Brasil: a Convenção pela salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, de 2003, e a Convenção pela proteção e promoção das Expressões das Diversidades Culturais, de 2005. Todas as duas ações promulgadas pelos Estados Membros da UNESCO.

Sobre o Metodo U.P.B:

O Método UPB – Universo Percussivo Brasileiro, criado por Letieres Leite (ORQUESTRA RUMPILEZZ), se trata da matéria de transmissão de claves e desenhos rítmicos do universo percussivo baiano para instrumentos e promove uma reflexão sobre a formação da música de consequência da diáspora negra na Bahia.

Objetivo:

O Programa AFROSSÁ BDC tem como objetivo levar o conhecimento a população local, estudantes de dança, teatro e artes cênicas, profissionais ou não, a historiografia, ferramentas e os planos de desenvolvimento pedagógico e técnico utilizado nos principais núcleos de formação artística da cidade de Salvador, através da união de conceitos eruditos e populares, a exemplo: da dança moderna e contemporânea, da capoeira, do samba, do ijexá, o samba afro, o samba reggae, o afro pop e a simbologia das movimentação das danças dos Orixás, o que deu origem a chamada “Dança Afro Moderna”, tendo como seu patrono Raimundo Bispo dos Santos – “Mestre King”. Servindo dessa forma como uma plataforma de capacitação e desenvolvimento para a formação de novos multiplicadores dessa disciplina.


Info e contato:
Facebook – IABACE, Carlos Ujhama, AFROSSÁ BDC.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Laboratorio de Técnicas e Danças AFRO-SOTEROPOLITANA.

Όσοι δεν καταφέρατε να τον απολαύσετε στο προϋγούμενο σεμινάριο έχετε και πάλι την ευκαιρία!!!!! Ο Carlos Ujhama μέλος του CID επιστρέφει στην Ελλάδα για ένα mini workshop μόνο στον πολυχώρο Casa De Arte Kabeiria....... Ένας μοναδικός συνδιασμός αφρικάνικου,βραζιλιάνικου χορού,capoeira και όχι μόνο από έναν χαρισματικό δάσκαλο!!!!! Ο Carlos Ujhama είναι μέλος του Διεθνούς Σωματείου Χορού CID/ UNESCO (International Dance Council – CID/ UNESCO), με μεγάλη εμπειρία στον μοντέρνο και σύγχρονο χορό αλλά και εξειδίκευση στους παραδοσιακούς αφροβραζιλιάνικους χορούς . Ως διευθυντής, δάσκαλος και χορογράφος στην εταιρεία Contemporary Urban Intervention , η προσωπική του δουλεία έχει αναγνωριστεί επισήμως από την κυβέρνηση της Bahia, το Αφροβραζιλιάνικο κίνημα και τον καλλιτεχνικό χώρο της Ευρώπης . Η δουλειά του έχει διαδοθεί σε περισσότερες από δέκα χώρες. ΠΡΟΓΡΑΜΜΑ: ΣΑΒΒΑΤΟ 13/12/2014 18.00-20.00 ΚΥΡΙΑΚΗ 14/12/2014 17.00-20.00 Τιμή:Ανά μέρα 15 ευρώ 2 μέρες 25 ευρώ. Πληρο

OS PRETOS NÃO LÊEM!

Sociedade: OS PRETOS NÃO LÊEM! em 22 de Março de 2007 - 09:56 Linux - USA O lado triste deste artigo é que a sua essência é verdadeira. De fato, a verdade dói! Eu espero que isso possa criar uma motivação para que mais “pretos” não somente no senso étnico, identitàrio, cultural, religioso, filosófico, econômico, educacional, político, empresarial, artístico e todos os outros sentidos possam ir para frente, fazendo progresso reais. Carlos Ujhama – AFROSSà Cia. De Danças Populares da Bahia. - Chris Rock, um comediante negro disse, "os pretos não lêem". Não deixem de ler esse artigo é muito interessante. Para muitos dentre vós que escutaram o artigo que Dee Lee léu uma manhã nas ondas de uma estação de rádio de NY. Para os que não escutaram, este artigo toca profundamente. Um artigo pesado e escrito por um caucasiano (um branco). - Os negros não lêem e continuam a ser nossos escravos. Nós podemos continuar a escolher proveito dos negros sem esfo

Ano Novo, novas intenções!

Agradecendo ao que nos foi oferecido pelo universo, no ano que passou e, seguro que toda caminhada começa com o primeiro passo, continuamos a nossa afirmação como um ponto de referencia para as artes cenicas de matrizes africanas e afro-brasileiras. A nossa restrospectiva nos porta à um ano de fortalecimento e amadurecimento! Questões que nao gostaria de explicitar aqui, uma vez que nao háveria a oportinudade de confrontar com a classe artistica que nos segue e tanto colabora com esse projeto. O Moviemto Cultural Afro Brasiliero despedi-se da Europa, a nivél intelectual, pois, percebemos que o necessario a ser feito deve e precisa ser feito em solo brasileiro, para brasileiros. Estudiosos, pesquisadores, bailarinos, atores, musicos, etc. A quem possa interessar!! E, para começar-mos, manteremos os nossos seguidores informados das ações e realizações desses construtores: os pioneiros na perpetuação de uma linha de pesquisa, desenvolvimento e ação sobre a arte e movimento das matri